Poema: Submissa


SubmissaVAGUEIO INCANSAVELMENTE POR TEUS OLHOS.
NA MADRUGAVA TENEBROSA DESEJO O SEU CORPO
UM FOGO CUJA FUMAÇA ME CEGUE POR TODA VIDA.

NÃO BUSCO MAIS VIDA, POIS TU ES MEU PORTO SEGURO.
O MEU DESEJO CONCRETO, MEUS PENSAMENTOS MAIS LOUCOS.
O MEU MEDO JÁ NÃO VIVE EM MEU INTIMO MOLHADO.
JÁ NÃO SOU MAIS SOLITARIA. VIVO.

POR TODAS AS ESTRADAS PERCORRIDAS, TU FOSTE A SOMBRA ACOLHEDORA. O VENTO FRESCO E AMIGO QUE ME PROTEGEU DAS NOITES SOMBRIAS. A UMA DISTANCIA INCALCULAVEL TU ME SEGUES.

QUERO VIVER AGARRADA PELOS TEUS PÉS. LAVA-LOS COM MINHAS LAGRIMAS DE TEU AMOR CONQUISTADO.
SOU TUA, NADA MAIS ASPIRO SÓ RESPIRO O QUE ME ORDENAS.
MINHA PELE AOS POUCOS SE TORNA ASPERA, CAMADAS DE CICATRIZES DENUNCIAM O CONCEBIMENTO DO NOSSO AMOR.

Poema enviado por Cypher, do blog: http://corvoluz.blogspot.com/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s