GOR: Literaturas e Deveres de Mestre


GOR e BDSM apesar das semelhanças são duas culturas totalmente diferentes. Eu não sou Goreano, por isso pedi ajuda a uma amiga minha, Yar Anjo e também de “Master Christian”, que são praticantes, para me ajudar a explicar o que é GOR.

Por isso neste artigo vou transcrever uma apostila que Master Christian criou sobre a filosofia GOR. Por ser extenso, dividirei cada capítulo em um novo artigo, para melhor organização. Peço licença para o Master Christian para disponibilizar a sua apostila para download neste site.

LITERATURA E SUAS INTERPRETAÇOES

Os livros de Gor permitem uma certa liberdade de interpretação e conseqüentemente uma certa liberdade nas práticas goreanas. Mas a filosofia básica tem de ser preservada. Desta forma podem conviver cidades mais liberais com cidades mais radicais na interpretação da filosofia, porém existem certos comportamentos que, pelo menos nós que somos mais preocupados com a filosofia não entendemos como Goreanos.
É preciso entender que não cabe a mim ou ao conselho de Alkania julgar o comportamento ou as práticas dos BDSMistas onde quer que seja. Tão pouco temos autoridade para proibir quem quer que seja de utilizar o título de Master Goreano. A única coisa que podemos fazer é reconhecer ou não reconhecer cada indivíduo ou mesmo cada cidade como genuinamente goreanos segundo a nossa própria leitura.

Infelizmente não há nada que se possa fazer a respeito uma vez que a literatura esta disponível, e ninguém tem uma autoridade para certificar quem é mesmo goreano.
Duas são as formas de melhorar o estado dessas coisas:
1a) Divulgar, tanto quanto possível, a melhor interpretação da filosofia. Isto tem, é claro, o problema que a melhor interpretação é uma questão de ponto de vista. Assim eu, pessoalmente, busco mostrar a forma como entendo, e cabe a cada um fazer sua própria avaliação do que está lendo. Certamente não é possível ser goreano sem se dedicar a pensar sobre essas questões.
2a) Reunir-se em grupos, que chamamos de cidades, onde se pode optar por uma determinada interpretação da filosofia e onde se pode criar normas que colaborem com o melhor funcionamento do lifestyle.
Neste sentido, em Alkania especificamente, há quatro níveis de Goreanos, esses níveis são inspirados em patentes militares descritas em um dos livros de Gor, a saber: Apprentice, Commander of Ten, Commander of a Hundred e Commander of a Thousand. E a evolução dentro desses níveis envolve a capacidade de aprender e de ensinar de cada Master.
Já nos foi dito que ao utilizar esta estrutura estaríamos perdendo bons goreanos que nunca se submeteriam a ser aprendizes de outro Master mas, verificamos com a prática que quem não tem a humildade de começar como aprendiz dificilmente tem a disciplina para ser Goreano. Mas repito essa é uma norma específica de Alkania.

DEVERES DE UM MESTRE GOREANO

Os deveres do Mestre Goreano podem ser divididos em três categorias: deveres com outros Mestres; deveres com as suas kajiras; deveres com a filosofia goreana.

Os deveres com outros Mestres, mulheres livres e pessoas não ligadas à filosofia goreana envolvem questões de honra, respeito e coerência.

Entre eles estão:
-Respeito à posição de dominância de outros Mestres com referencia a suas escravas, protegidos e convidados. É considerada uma desonra para um Mestre tentar submeter ou usar a escrava de outro Mestre sem a autorização explicita deste, ou semelhantemente invadir a privacidade de seus protegidos ou convidados.
-Ser honesto e justo quando solicitado a julgar seus pares ou opinar sobre matéria de honra, moral ou ética.
-Respeito as opções de outras pessoas não relacionadas a GOR como por exemplo: dominadoras, rainhas, podólatras, escravos e etc…
-Respeito às decisões do conselho da sua HomeStone.
-Assumir a responsabilidade por seus erros, quando reconhecidos.
-Assumir a responsabilidade por erros cometidos por suas escravas, seus protegidos ou convidados, quando reconhecidos.
-Proteger efetivamente seus protegidos e convidados contra abusos de outros Mestres, livres ou de visitantes na comunidade goreana.
-Colaborar com outros mestres no cuidado e na divulgação da cultura Goreana.
-Orientar, na medida de sua capacidade, outros Mestres sobre a filosofia, cultura e práticas Goreanas.
-Receber a instrução de mestres com mais experiência sem se sentir diminuído por isso.

Com relação as suas próprias kajiras os deveres de um Mestre goreano estão prioritariamente relacionadas a cuidado e proteção, entre eles estão:

Dominar as suas kajiras. E, através deste domínio, dirigir-lhes a vida, os pensamentos e sentimentos.
-Proteger as suas kajiras como bem precioso que são.
-Conhecer intimamente cada kajira que possua. Com a sensibilidade de perceber os seus desejos, necessidades e preocupações.
-Cuidar do bem estar de suas kajiras sob todos os pontos de vista que seja capaz, incluindo o emocional, mental e físico. Tal cuidado não se opõe a sua dominância nem põe o Mestre a serviço da kajira, tão somente representa o cuidado de um Dono com seus bens de maior valor.
-Ser paciente com os limites de cada kajira, reconhecendo-os e ajudando-a a superá-los.
-Ser um mestre no sentido de ensiná-las sempre a serem melhores kajiras.
-Ser coerente em palavras e ações com o objetivo de fornecer a suas kajiras um ambiente saudável que possibilite o seu serviço.
-Cuidar do desenvolvimento físico, emocional, intelectual das kajiras bem como quaisquer outras dimensões que, segundo seu julgamento e percepção, sejam relevantes no desenvolvimento delas.
-Ser justo em julgamentos, avaliações e premiações. Particularmente quando possuir mais de uma kajira.
-Punir, sempre com o objetivo de educar, os comportamentos indesejáveis.
-Ter uma relação individual com cada uma de suas kajiras.

Finalmente, os deveres de um Mestre com relação à filosofia goreana envolve principalmente aspectos relacionados a princípios, entre estes pode-se citar:

-Honra, integridade.
-Coerência entre suas palavras e atos.
-Coragem e forca para manter os princípios nos quais acredita.
-Domínio próprio.
-Desejo de auto desenvolvimento e maturidade para usar seu conhecimento.
-Coragem para assumir os próprios sentimentos e fraquezas.
-Força para seguir com sua missão apesar de seus sentimentos e fraquezas.
-Força para assumir a sua própria essência, mesmo inserido em uma cultura que se opõe a tal natureza.
-Compromisso com a disseminação da cultura goreana com sabedoria mas sem permitir que os seus princípios sejam distorcidos.

A esses eu acrescentaria mais dois:

Dever de estudar e se desenvolver sempre, a filosofia goreana é complexa e quanto mais se lê, se estuda e se medita nela mais se descobrem conceitos e detalhes por aprender, assim o Master Goreano deve estar comprometido com o seu desenvolvimento tanto quanto espera isso de suas kajiras.
O dever de buscar ser sábio, prudente e equilibrado, de não ter medo de buscar auxilio e conselho para tomar sua decisões de forma mais correta possível.

Finalmente é importante lembrar que o Master Goreano erra tanto como qualquer outro ser humano, na verdade ele provavelmente irá errar mais visto que toma mais decisões que a maioria uma vez que tem uma autoridade igualmente maior, assim estas orientações devem servir de apoio para os Masters e não ser utilizadas como uma forma de agredi-lo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s